Outras cidades e vidas possíveis

PISEAGRAMA

Oito imagens de como a vida poderia ser em poucos anos. Reflexões, propostas e histórias de mudanças, em uma visita guiada ao melhor já publicado na PISEAGRAMA.

Nos últimos dias, engajados com a campanha de financiamento da PISEAGRAMA, nos perguntamos sobre as mudanças que poderiam ocorrer, nas cidades e na vida, em dois anos, quando teremos realizado quatro números da revista e publicado algumas centenas de artigos no site.

Decidimos revisitar histórias publicadas, inventariar transformações promissoras e produzir imagens que ajudassem a prospectá-las. O conjunto serviria para divulgar a campanha de assinaturas, mas também para fomentar imaginários e instigar ações práticas.

Quando lançamos a PISEAGRAMA, em 2011, a discussão sobre espaço público no Brasil era um deserto: pensamos a revista como uma plataforma de enfrentamento à privatização progressiva das esferas do público (saúde, educação, segurança, mobilidade, lazer) e ao abandono dos espaços urbanos e das esferas de debate.

De lá para cá, muita coisa aconteceu. Há quem diga que o país inventou uma esfera pública, muito representada em junho de 2013, mas também nas ocupações urbanas e nos diversos movimentos em torno de bens comuns pelo país.

Nesse período, publicamos oito números da revista, cerca de 200 artigos (todos disponibilizados gratuitamente no nosso site), e dezenas de milhares de bolsas de uma campanha com as frases #OnibusSemCatraca #ParquesAbertos24h #CarrosForaDoCentro e #UmaPraçaPorBairro, que circulam pelo Brasil em compartilhamentos reais, a partir dos corpos nas ruas.

Será que, se lançassemos a campanha hoje, essas frases seriam as mesmas? E daqui a dois anos? O que pode ter mudado? Em nossas ações individuais, em que medida conseguimos transformar as pequenas coisas da vida para que ela seja mais prazerosa, ecológica, coletiva, justa, sensata?

Aqui você encontra oito imagens, que em conjunto fomentam o imaginário de outras vidas possíveis num curto espaço de tempo e proporcionam (atenção para os hiperlinks!) uma visita guiada a uma parte do melhor já publicado em PISEAGRAMA.

*

1_ abandonar de vez o automóvel

cartazes-2

Os 300 primeiros assinantes da campanha recebem um pôster em casa. Corre lá que dá tempo: piseagrama.org/assine

Eu, tu, ela, ele, nós, vós, elas e eles abandonarmos de vez o bólide metálico de uma tonelada. Livrar as cidades dessa máquina de produzir engarrafamentos, que mata mais do que armas de fogo e que torna a poluição do ar um problema grave de saúde pública.

Apostar em reformas urbanas que privilegiem pedestres, ciclistas e transporte público, como em Bogotá, como na proposta de Tarifa Zero de Lucio Gregori, ou na prática ciclística do prefeito de Londres.

*

2_ quebrar o asfalto e plantar tudo quanto houver

cartazes-8

Os 300 primeiros assinantes da campanha recebem um pôster em casa. Corre lá que dá tempo: piseagrama.org/assine

Transformar viadutos abandonados em um parque de diversões, aproveitar estruturas existentes e nunca demolir, e, quando a ânsia das transformações cosméticas bater à porta, não fazer nada com urgência. Rever a relação com os ideais de desenvolvimento e entender que o trem do progresso deveria ir em muitas direções.

*

3_ (re)aprender a andar de carrinho de rolimã

cartazes-6

Os 300 primeiros assinantes da campanha recebem um pôster em casa. Corre lá que dá tempo: piseagrama.org/assine

Aprender o valor econômico do tempo livre, resgatar campinhos e playgrounds, derrubar os muros das escolas, construir parquinhos de diversões em lotes vagos.

*

4_ menos guarita, mais feirinhas

cartazes-4

Os 300 primeiros assinantes da campanha recebem um pôster em casa. Corre lá que dá tempo: piseagrama.org/assine

Aprender a ver poesia nos varais, transformar a fachada do prédio em um álbum de retratos, construir conjuntos habitacionais em processos participativos com futuros moradores, ativar o comércio de rua para deixar as calçadas, as ruas e as cidades melhores.

*

5_ tornar um rio limpo

boia2

Os 300 primeiros assinantes da campanha recebem um pôster em casa. Corre lá que dá tempo: piseagrama.org/assine

Promover grandes mobilizações para permitir a volta dos peixes a rios, conhecer a rotina de um mergulhador do esgoto, imaginar como seria a revitalização de um córrego urbano e oferecer essa imagem para a sociedade, transformar lixo em notas de 100 euros.

*

6_ cultivar uma horta

cartazes-3

Os 300 primeiros assinantes da campanha recebem um pôster em casa. Corre lá que dá tempo: piseagrama.org/assine

No quintal, na varanda, na banheira, no carrinho de compras, no jardim central. Conhecer histórias de preservação e compartilhamento de sementes, passar a adquirir suas verduras nas feiras e de pequenos agricultores, trazer a agricultura urbana para o centro do debate de planejamento das cidades.

*

7_ levar as crianças pra escola de bicicleta

cartazes-1

Os 300 primeiros assinantes da campanha recebem um pôster em casa. Corre lá que dá tempo: piseagrama.org/assine

Andar a pé pela cidade, olhando o outro pelos olhos, fantasiado ou de rolê. Viver a vida entre edifícios, imaginar um passeio aquático sobre minhocões e trincheiras.

Tornar a bicicleta o meio de transporte irresistível para sua cidade até que ela cresça tanto que transforme as relações sociais.

*

8_ adotar uma capivara

cartazes-7

Os 300 primeiros assinantes da campanha recebem um pôster em casa. Corre lá que dá tempo: piseagrama.org/assine

Extinguir de vez a visão da fauna e flora como empecilhos para o progresso. Conhecer histórias trágicas de destruição mundo afora, acompanhar a situação crítica e conhecer as possibilidades de reflorestamento da Amazônia, plantar orquídeas onde reinam lixo, asfalto e automóveis.

*

 

Em uma das críticas mais bacanas que já recebemos (disponível aqui) Hermano Vianna comenta como as ideias publicadas na PISEAGRAMA podem ser colocadas em prática. Basta vontade – política, pessoal, coletiva. Que essas imagens ajudem a fomentar vontades. E que a campanha de assinaturas alcance os mil assinantes para que a revista continue a existir e dar suas pequenas contribuições para as mudanças que urgem ;)

Como citar este artigo

PISEAGRAMA. Outras cidades e vidas possíveis. PISEAGRAMA, Belo Horizonte, sem número, 18 nov. 2015. <http://piseagrama.org/outras-cidades-e-vidas-possiveis>.